terça-feira, 1 de julho de 2014

Paulo Bento: «Extremos davam equilíbrio à equipa»

O selecionador nacional Paulo Bento justificou a opção de não levar Quaresma e Adrien ao Mundial'2014, analisando de forma clara a razão pela qual optou por não levar o Mustang, justificando-a com o equilíbrio a equipa em termos defensivos.

"Por questão de opção. Temos um extremo fantástico de um lado, que no momento da decisão é tremendo. E do outro lado tinha de jogar um jogador que do ponto de vista tático tivesse características diferentes. Que no processo defensivo, à parte do ofensivo, permitisse à equipa estar equilibrada. Poderia estar na convocatória, mas entendi que os outros extremos, para 4-3-3 ou 4-4-2, que podiam dar mais equilíbrio", frisou.

"Mudou que desta vez tinha o Vieirinha e há dois anos não o levei, agora optei por ele. Não sei se a época do Vieirinha é melhor do que a do Quaresma, até porque o Vieirinha só começou a jogar em abril. Mas esteve connosco durante a qualificação e o Quaresma não esteve. Falo acima de tudo das características, em função do que queríamos, para dar mais equilíbrio", explicou.

Quanto a Adrien, a explicação passou pela vontade de manter as opções de meio campo que vinham sendo utilizadas. "O nosso meio campo não tem mudado muito. Jogámos com Miguel Veloso, Raul Meireles e Moutinho... Tínhamos o Ruben que fazia qualquer posição do meio e tínhamos a possibilidade do Miguel jogar a interior. Testámos ainda o Fábio e levámos um jogador mais ofensivo, como o Rafa, que não utilizámos. O Raul acabou a época a competir e num momento de forma extraordinária. Não foi só o Raul que não esteve bem", assegurou, deixando a garantia de que aquando das observações gostou do que viu do médio do Fenerbahçe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário