sábado, 16 de maio de 2015

Jogo de preparação com Itália em Genebra.

A Federação Portuguesa de Futebol confirmou que o jogo de preparação da Seleção Nacional frente à Itália irá realizar-se em Genebra, na Suíça, no dia 16 de junho.

O Stade de Genève, com capacidade para 30 mil espetadores, será o palco do 25.º confronto entre Portugal e Itália, duelo com balanço claramente favorável aos italianos: 18 vitórias, quatro derrotas e dois empates.

Três dias antes, no dia 13 de junho, a equipa das Quinas defronta a Arménia, partida da 5.ª jornada do Grupo I, que Portugal lidera, de qualificação para o Euro-2016.

«Não sou muito dado a naturalizações» - Fernando Santos

O selecionador nacional reconheceu que a posição de ponta de lança é uma ‘dor de cabeça’ mas confessou que nunca recorreria a uma naturalização para solucionar o problema. 

«Não sou muito dado a naturalizações, com algumas exceções. É normal em alguns casos, como foi o caso de Pepe, que chegou a Portugal com 17, 18 anos e fez quase todo o percurso futebolístico aqui. Ai, admito que isso é possível. Pegar num jogador à última hora e naturalizá-lo, não acredito. A meu pedido não, nunca darei esse passo», disse em declarações à .

Fernando Santos explicou que moldar o sistema é uma forma para contornar a ausência de opções para a posição de ponta de lança: «Essa posição não existe na Seleção há muito tempo, não é de agora. Tenho de trabalhar com as características dos jogadores e moldá-las, potenciando a qualidade dos jogadores.»

Questionado sobre a renovação da Seleção Nacional, Fernando Santos sublinhou Portugal tem «muita matéria-prima para o futuro» e que continuar a escolher os jogadores «pela qualidade, nunca pela idade».

«Vai ser muito difícil ganhar a Portugal» - Fernando Santos

«Ganhar» é palavra de ordem no balneário da Seleção Nacional, refere Fernando Santos, que se mostra confiante numa boa prestação da equipa das Quinas no Campeonato da Europa de 2016.

«Há seleções fortíssimas. A Espanha, a Alemanha, a França que joga em casa, a Itália. Venha quem vier. Se queremos ganhar, temos que passar por todos. Certo é que a nenhum adversário será fácil ganhar a Portugal», disse em entrevista à TVI24.

Questionado se Portugal pode ganhar o título europeu, o selecionador respondeu: «Temos de acreditar.» E lembrou a participação no Euro-2012, na Polónia, onde só caiu nos penalties diante da Espanha. 

terça-feira, 28 de abril de 2015

«O mais importante é ter a Seleção no Europeu» - Fernando Santos

O Selecionador Nacional, Fernando Santos, assegurou que não vai gerir jogadores na convocatória para o encontro com a Arménia, marcado para 13 de junho, que coincide com o Europeu de sub-21, na República Checa. A prioridade é o apuramento para o Euro-2016.

«Não vou fazer gestão, essa não é a regra. O mais importante para o futebol português é que a Seleção esteja no Europeu, em França. A Federação vive do sucesso de ter uma equipa numa fase final, senão aparecem problemas económicos. Será sempre o primeiro pensamento», afirmou o treinador esta segunda-feira, em Santarém, à margem do Fórum do Treinador Futebol/Futsal.

Fernando Santos tem mantido conversas com Rui Jorge, treinador dos sub-21, e com Ilídio Vale, coordenador da formação, sobre o jogo na Arménia e as participações de Portugal no Mundial de sub-20 e no Europeu de sub-21. Sem referir nomes, o selecionador admite contudo deixar de fora jogadores que corram o risco de não jogar muito na equipa principal e que possam ser mais-valias nos sub-21.

«Existem jogadores que se interligam nestas competições e vamos ponderar o que é credível fazer. Aqueles que eu entender que têm 50 por cento ou mais possibilidades de jogar na Seleção Nacional, até dia 13 estarão sempre com a equipa nacional. Aqueles que entender que não vão jogar tanto podem ficar com os sub-21», esclareceu Fernando Santos.

O próximo jogo de Portugal está marcado para Erevan, capital da Arménia a 13 de junho. A equipa técnica está em fase de observações e realçou que nenhum jogador está de fora:

«Os jogadores não têm de jogar todos os jogos, têm de competir com regularidade. É preciso ter minutos. Ninguém está excluído.»

domingo, 19 de abril de 2015

«Temos de criar a Seleção em torno de Cristiano Ronaldo» - Tiago

Tiago não tem dúvidas de que a Seleção Nacional só terá a beneficiar caso aproveite ao máximo as capacidades de Cristiano Ronaldo, referindo, por isso, que será benéfico construir a equipa em torno do jogador do Real Madrid.

«Alguns jogadores podem sentir um pouco que é injusto, porque a Seleção somos todos nós, mas, no fundo, é natural porque o Cristiano é a figura da Seleção e só nos faz bem ter um jogador assim. Temos de tentar aproveitá-lo ao máximo e tentar criar uma equipa em torno dele que nos faça ganhar, pois é o jogador mais especial que temos», referiu Tiago, em entrevista à revista FPF360.

Tiago destacou ainda o impacto do habitual capitão da Seleção:

«Em Madrid e em qualquer parte do Mundo, é fácil perceber o que é o Cristiano Ronaldo. Mesmo nos jogos da Seleção em que vamos a muitos países, como Azerbaijão ou Albânia, é uma loucura, há gente a chorar no aeroporto e nos hotéis, a cara das pessoas que não acreditam que o estão a ver. Para mim é um pouco estranho porque o conheço desde os sub-20. Realmente o que ele conseguiu atingir é inacreditável. Supera-se a cada ano que passa.»

A finalizar, o médio relembrou um episódio pessoal que passou com Cristiano Ronaldo no Mundial-2010, após o jogo com a Coreia do Norte:

«Lembro-me perfeitamente do Mundial da África do Sul, num jogo em que tudo saiu bem e ganhámos 7-0. Foi inesquecível. Mais do que os dois golos, fica na memória o gesto do Cristiano no final do jogo, em que lhe deram o troféu de melhor em campo e ele achou por bem dedicar-mo e felicitar-me pelo jogo que tinha feito.»

segunda-feira, 30 de março de 2015

Árbitro romeno no jogo frente a Cabo Verde

O romeno Ovidiu Hategan, 34 anos, será o árbitro do encontro particular entre Portugal e Cabo Verde, marcado para esta terça-feira (20.45 horas), no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.

Ovidiu Hategan será auxiliado pelos compatriotas Sovre Octavian e Grigoriu Mircea Mihail, enquanto o português Carlos Xistra assumirá as funções de quarto árbitro.

O árbitro romeno nunca dirigiu qualquer jogo da Seleção Nacional, tendo no entanto apitado vários encontros envolvendo equipas portuguesas nas competições europeias, sendo o mais recente o Bate Borisov-FC Porto, na Liga dos Campeões.

Nani apela à presença dos adeptos no jogo com Cabo Verde

Apesar de ser um dos jogadores que não poderá jogar no encontro particular desta terça-feira diante de Cabo Verde, Nani não deixou de apelar através das redes sociais à presença do público no Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.

«Ontem demos um passo de gigante, amanhã daremos outro maior! Seja solidário, assista ao jogo Portugal vs Cabo Verde e ajude a Ilha do Fogo!», escreveu o jogador, que mostra não esquecer as raízes, uma vez que é natural de Cabo Verde.

«Sonho estar no Europeu» - Rui Fonte

Os irmãos Rui e José Fonte falaram à imprensa na manhã desta segunda-feira e manifestaram o seu contentamento por poderem estar juntos ao serviço da Seleção Nacional.

«É uma felicidade enorme, jogar com o meu irmão na Seleção é perfeito. Sempre o admirei quando era mais novo e ainda continua a ser o meu maior ídolo», disse Rui Fonte, avançado do Benfica emprestado ao Belenenses, acerca do irmão que alinha no Southampton.

O central José Fonte revelou ainda que os pais dos jogadores ficaram «orgulhosos» de verem ambos os filhos convocados para a equipa das ‘quinas’, tecendo ainda vários elogios ao irmão.

«Analiso-o como um avançado inteligente e que se movimenta bem, evoluído tecnicamente, bom de cabeça e rápido. Tem todas as qualidades para fazer um bom trabalho a nível de clubes e seleção», disse.

Rui Fonte também não escondeu o sonho de poder estar no Campeonato da Europa de 2016: «Sonho estar presente no Europeu mas isso vai ser consequência do que eu fizer no resto desta época e na próxima, vou ter de trabalhar e fazer o que tenho a fazer no clube.»

Fernando Santos com 24 jogadores no treino para defrontar Cabo Verde

Poucas horas após a vitória sobre a Sérvia (2-1), a Seleção Nacional voltou ao trabalho, preparando o encontro particular desta terça-feira, diante de Cabo Verde. 

Fernando Santos contou com 24 jogadores no relvado do Estádio Nacional, sendo que os utilizados na partida com a Sérvia foram dispensados, conforme os regulamentos impostos pela FIFA. Houve, no entanto, uma exceção: José Fonte.

O defesa, que substituiu Ricardo Carvalho logo aos 17 minutos da partida com a Sérvia, não podendo por isso defrontar Cabo Verde, teve assim oportunidade de trabalhar ao lado do seu irmão, Rui, uma das caras novas da Seleção para este jogo com Cabo Verde.

Eis o grupo:

Guarda-redes: Anthony Lopes (Lyon), Ventura (Belenenses) e Marafona (Moreirense);

Defesas: André Almeida (Benfica), Antunes (Dínamo Kiev), Cédric (Sporting), Paulo Oliveira (Sporting), André Pinto (SC Braga), José Fonte (Southampton) e Tiago Pinto (Rio Ave);

Médios: Danilo Pereira (Marítimo), André André (V. Guimarães), André Gomes (Valência), Adrien (Sporting), João Mário (Sporting), Bernardo Silva (Mónaco), Vieirinha (Wolfsburgo), Ukra (Rio Ave), Pizzi (Benfica) e Ivan Cavaleiro (Deportivo da Corunha);

Avançados: Éder (SC Braga), Hugo Almeida (Kuban Krasnodar), Rui Fonte (Belenenses) e Lucas João (Nacional).

William Carvalho diz que Portugal tinha de ganhar «corresse bem ou mal»

William Carvalho surgiu sorridente na zona mista após o jogo de Portugal frente à Sérvia (2-1). Razão para a satisfação? A vitória da equipa lusa. «O nosso objetivo foi sempre ganhar. Independentemente se o jogo corresse bem ou mal, queríamos os três pontos», disse.

Questionado sobre se o médio persegue a titularidade, William aparenta não estar preocupado com essa situação. «Eu faço o meu trabalho e depois depende das opções do mister.»

«Com esta atitude será difícil ganhar a Portugal» - Fernando Santos

Fernando Santos colocou um travão na euforia e alertou que, apesar da liderança no Grupo I, Portugal não garantiu ainda um lugar no Europeu de 2016.

«Não acredito que os jogadores estejam a pensar assim, se estiverem vou tirar-lhes isso da cabeça na próxima convocatória. Só dependemos de nós mas faltam quatro jogos, um em casa e três fora. Temos muito trabalho, mas a manter esta atitude dificilmente alguém vai ganhar a Portugal», afirmou o selecionador nacional em conferência de Imprensa.

Fernando Santos deixou uma palavra de agradecimento aos cerca de 58 mil espectadores que apoiaram a equipa das Quinas no Estádio da Luz, enaltecendo a resposta dos adeptos ao golo da Sérvia.

«Quero fazer um agradecimento ao público que encheu este estádio, mostrou uma paixão enorme pela equipa. Num momento crucial, depois do golo do empate, foi marcante a forma como o público reagiu e levou a equipa para a frente, de tal maneira que dois minutos depois Portugal apontou o golo da vitória. Foram o 12.º jogador», salientou.