quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cristiano Ronaldo marcou para Portugal, mas a Dinamarca garantiu o apuramento

Portugal no "play-off".

Um empate era suficiente para Portugal apurar-se para o UEFA EURO 2012, enquanto a Dinamarca precisava de ganhar. E foram os anfitriões, graças a golos de Michael Krohn-Dehli e Nicklas Bendtner, a alcançarem os seus objectivos, com Cristiano Ronaldo a marcar para a Selecção Nacional.


A Dinamarca assumiu a iniciativa e, logo aos três minutos, criou perigo. Livre de Eriksen para a área, onde Rui Patrício, com uma defesa instintiva, impediu o golo. Na recarga, Michael Silberbauer introduziu a bola na baliza, mas o lance foi anulado por falta do defesa sobre o guarda-redes.


Mas nove minutos depois, a Dinamarca chegou mesmo ao golo. Bola colocada em Krohn-Dehli, na esquerda, que, depois de tirar João Pereira do caminho, rematou forte, com a bola a sofrer um desvio em Rolando antes de bater no poste e entrar.


Seguiu-se uma fase em que a Dinamarca continuou a atacar, beneficiando da rapidez e mobilidade dos seus avançados, mas sem efeitos práticos, já que Bendtner não conseguia importunar Rui Patrício.


O melhor período de Portugal surgiu perto do intervalo. Aos 37 minutos, Carlos Martins serviu Cristiano Ronaldo na área, que rematou de pronto e rasteiro, obrigando Thomas Sørensen a estirar-se no relvado para segurar a bola. Aos 43', num livre marcado rapidamente, Sørensen desviou o cruzamento de João Pereira para a frente e Nani, pressionado por um adversário, rematou por cima, perdendo uma ocasião soberana.


No reinício, voltou a ser a Dinamarca a ameaçar. Um corte defeituoso de João Pereira deixou a bola em Krohn-Dehli, e foi preciso um corte em carrinho de Rolando para evitar o pior. Aos 55', boa jogada individual de Nani na direita, ultrapassando vários adversários antes de assistir Carlos Martins à entrada da área, que rematou com o pé esquerdo para defesa apertada de Sørensen.


E numa altura em que o jogo estava repartido, foi novamente a Dinamarca a marcar, aos 62 minutos. Jogada rápida de contra-ataque, Dennis Rommedahl ganhou o flanco e cruzou para Bendtner, que só teve que encostar. Paulo Bento refrescou a equipa, fazendo entrar Miguel Veloso e Ricardo Quaresma, e derivou Cristiano Ronaldo para o eixo do ataque, ao lado de Hélder Postiga.


A Dinamarca quase fez o terceiro, novamente numa jogada rápida, com Eriksen a combinar com Krohn-Dehli e rematar em jeito, com a bola a rasar o poste.


A última cartada ofensiva de Portugal foi Nuno Gomes. Em tempo de compensação, Cristiano Ronaldo, de livre, marcou um grande golo, que apenas serviu para reduzir a diferença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário