quinta-feira, 11 de agosto de 2011


Paulo Bento sublinhou que a postura da equipa foi séria do princípio ao fim
Objectivos cumpridos.

O Selecionador Nacional mostrou-se satisfeito por a equipa ter cumprido os “três objectivos” delineados para o jogo particular com o Luxemburgo (5-0), realçando a actuação do conjunto na segunda metade.
“Estou satisfeito. Os três objectivos que tínhamos delineado foram cumpridos. Ganhámos, não sofremos golos e a postura da equipa foi séria do princípio ao fim”, disse Paulo Bento, na Conferência de Imprensa após a vitória sobre a equipa luxemburguesa, em jogo disputado no Estádio Algarve.


O treinador elogiou a equipa pela prestação na segunda metade da partida: “Tivemos maior fluidez de jogo na segunda parte, também fruto da vantagem alcançada na primeira parte”, afirmou.


“Houve mais espaço, porque o adversário quis dividir mais o jogo, o que nos permitiu construir melhor alguns momentos de transição ofensiva que não tínhamos conseguido na primeira parte por o adversário estar muito atrás da linha de bola e ter um bloco baixo, gerando alguma precipitação nossa”, explicou Paulo Bento.


“Não foi uma grande exibição, mas foi uma boa exibição. Fomos sérios, não sofremos golos e foi importante para dar confiança à equipa para o embate de 2 de Setembro”, afirmou o Seleccionador, referindo-se ao encontro com o Chipre, da antepenúltima jornada do Grupo H da fase de qualificação para o Europeu de 2012.


Questionado sobre o facto de Nuno Gomes, dianteiro do Sporting de Braga, não ter jogado, Paulo Bento sublinhou que “não existe nenhum vínculo” para que “tenham de jogar" os jogadores que são convocados.


“O Nuno Gomes passou por uma fase em que deixou de estar presente na seleção e não jogava com assiduidade. Pela nossa avaliação do rendimento dos jogos de pré-época, entendemos que era bom convocá-lo, mas isso não significa que o Nuno, como o Quim ou o Castro, que foi chamado pela primeira vez, tivessem se de ser utilizados”, sustentou.


Paulo Bento lembrou que em todas as convocatórias “há jogadores presentes, titulares, os que vão para o banco e os que ficam de fora” da partida.


“São decisões que se tomam. O que tem de se levar em conta são os critérios que antes defini. O Nuno é um jogador potencialmente convocável, na situação em que está, mas não há certeza de que seja novamente convocado. Faremos a avaliação até ao jogo com o Chipre para decidirmos”, acrescentou o Seleccionador Nacional.


Em relação à escolha de Rui Patrício para a baliza de Portugal, Paulo Bento lembrou que o guardião do Sporting tem “alternado” com Eduardo a titularidade nos últimos jogos particulares. “Hoje decidimos optar pelo Rui Patrício e vamos continuar a fazer observações e avaliações para, no jogo com o Chipre, decidirmos da melhor maneira”, frisou o técnico.


Já o selecionador do Luxemburgo, Luc Holtz, felicitou Portugal pela prestação e pela vitória, elogiando a “a capacidade defensiva” da sua equipa e a forma como os seus jogadores “conseguiram trocar a bola” durante a primeira parte.


“Na segunda parte, correu tudo pior e Portugal conseguiu alargar a vantagem, até porque se trata de um adversário bastante forte e poderoso”, acrescentou o técnico luxemburguês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário