sábado, 28 de junho de 2014

Pauleta: «O 9 está em perigo»

Pauleta admitiu, ontem, que os pontas-de-lança são cada vez mais escassos.No âmbito de uma confraternização que ocorreu à margem do Torneio Lopes da Silva, o antigo internacional justifica a ideia com as mudanças em termos táticos.

“A verdade é que poucas seleções têm pontas-de-lança de referência. Em termos táticos, nota-se que os extremos têm mais influência e considero que o verdadeiro n.º 9 está a desaparecer”, afirmou.

No entanto, foi o talento ao visar a baliza nesta prova que o levou a ser chamado à Seleção, como recorda. “Há 27 anos, lembro-me que marquei 7 golos e os Açores tiveram a melhor classificação até à altura (7.º). Foi devido a este torneio que no ano seguinte fui chamado à Seleção, com Queiroz, onde estavam Figo e Peixe, entre outros.”

Custódio também recorda alguns talentos que emergiram. “Grandes valores surgiram aqui. Na minha equipa (Braga) jogava o Hugo Viana e em Lisboa, por exemplo, lembro-me que estava o Quaresma”, sublinhou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário