quarta-feira, 17 de outubro de 2012


Cristiano Ronaldo recebeu de Luís Figo a medalha comemorativa das 100 internacionalizações
Marca histórica. 

Cristiano Ronaldo tornou-se, esta terça-feira, o mais jovem a atingir os 100 jogos pela principal Selecção Nacional e o terceiro a atingir a marca, juntando-se aos históricos Fernando Couto (110) e Figo (127).

Depois de Couto ser o primeiro, com 34 anos, dois meses e nove dias, a 22 de outubro de 2003, e de Figo o secundar, a 18 de fevereiro de 2004, com 31 anos, três meses e 14 dias, CR7, o terceiro, passa a partir de hoje a ser o mais novo centenário, com 27 anos, oito meses e 22 dias. 

Cristiano Ronaldo tem agora 100 “redondos” jogos pela seleção lusa, menos de uma década após a estreia, a 20 de Agosto de 2003, num particular disputado em Chaves, face ao Cazaquistão (1-0). Então já jogador do Manchester United, Ronaldo, um “miúdo” de 18 anos, seis meses e 15 dias, foi lançado pelo brasileiro Luiz Felipe Scolari ao intervalo, substituindo Figo, que acabara de cumprir a sua 94.ª internacionalização “AA”. 

Um “slalom” e um remate perigoso, a abrir a segunda parte, marcaram a sua primeira aparição na formação das “quinas”, que ganhou mais ou menos por acaso, com um golo nascido de um alívio do guarda-redes cazaque contra Simão. 

Na altura, não seria fácil de prognosticar que esse miúdo se tornaria um dos melhores jogadores da história do futebol português e do Mundo, título ao qual concorre, ano após ano, com o “extraterrestre” Lionel Messi. 

Pela seleção lusa, falta-lhe um título, que, curiosamente, esteve muito perto de conseguir menos de um ano após a estreia: jogou os 90 minutos, mas não impediu o triunfo da Grécia (1-0), em pleno Estádio da Luz, na final do Euro2004. 

No Mundial de 2006 e no Europeu de 2012, Ronaldo voltou a “acariciar” títulos, mas Portugal cederia, então, nas “meias”, frente à França (0-1) e Espanha (0-0 após prolongamento e 2-4 no desempate por pontapés da marca da grande penalidade). 

O número 7 luso não soma qualquer título, mas venceu mais de metade dos encontros que disputou com a camisola da seleção das “quinas”: 57 triunfos, 38 em jogos oficiais (disputou 68) e 19 em particulares (32). 

Cristiano Ronaldo, que disputou 16 jogos em 2004 e 15 na época 2005/2006 – os seus máximos na seleção “AA” - contabiliza ainda 26 empates (20 em jogos oficiais e seis em particulares) e 17 derrotas (10+7). 

Em matéria de golos, “CR7” também é, como nos jogos, o terceiro da hierarquia lusa, neste caso com 37 golos, contra 41 do “rei” Eusébio da Silva Ferreira e 47 de Pauleta. 

Ronaldo estreou-se a marcar a 12 de junho de 2004, ao seu oitavo jogo, mas o seu tento, de cabeça, após um canto cobrado por Figo, de nada valeu: no Estádio do Dragão, no jogo inaugural do Euro2004, Portugal já perdia por 2-0 e caiu por 2-1. 

Embora ainda não fosse, longe disso, a máquina de marcar golos em que, entretanto, se transformou, ao ponto de já ter conquistado por duas vezes a “Bota de Ouro”, o então “17” luso teve um grande ano de 2004, com um total de sete golos. 

No final de 2007, e já com 53 jogos, Ronaldo somava 20 golos, mas nos anos seguintes, e em contra ciclo com o que foi conseguindo ao serviço de Manchester United e Real Madrid, caiu de produção de 2008 a 2010, com apenas cinco golos em três anos (26 jogos). 

O agora “capitão” luso recuperou, entretanto, a veia goleadora e, com os sete golos de 2011 e os cinco que já contabiliza em 2012, está cada vez mais próximo de Eusébio e Pauleta, que, mantendo este ritmo, ultrapassará rapidamente, tal como Figo e Fernando Couto, em matéria de internacionalizações “AA”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário