quinta-feira, 17 de maio de 2012


Custódio acredita numa boa prestação da Equipa das Quinas no Euro 2012
“Sonho tornado realidade”.

O avançado Nani foi a novidade no treino da Selecção Nacional, realizado esta quarta-feira no Estádio da Luz.


Nani juntou-se na quarta-feira à noite aos 15 “eleitos” de Paulo Bento, que iniciaram a preparação para a competição, a disputar na Polónia e Ucrânia, de 8 de Junho a 1 de Julho.


Na segunda das 19 sessões previstas até à estreia no Euro 2012, o Seleccionador Nacional teve ao seu dispor 16 dos 23 convocados para a competição, na qual Portugal integra no Grupo B, juntamente com Alemanha, Holanda e Dinamarca.


O médio Carlos Martins abandonou a sessão mais cedo, não tendo treinado, por precaução, devido a uma mialgia de esforço no gémeo externo da perna esquerda.


A sessão voltou a contar com os guarda-redes de sub-21 Cristiano Figueiredo e Mika, que realizaram trabalho específico com o técnico Ricardo Peres.


A equipa volta a concentrar-se na segunda-feira, em Óbidos, para duas semanas de estágio, partindo depois Opalenica, na Polónia, onde ficará na primeira fase da competição.


“Sonho tornado realidade”
A viver a primeira experiência na Seleção A, Custódio confessou que quer prolongar ao “máximo” a presença na equipa nacional e o sonho que está a viver rumo ao Euro 2012.


“Recebi a notícia com enorme alegria. Primeiro que tudo, é um sonho tornado realidade. Estas palavras definem como me sinto. É logico que [o sonho] se ia tornando cada vez mais difícil com o avançar da idade, mas ele chegou”, realçou um sorridente Custódio.


O médio português, de 28 anos, que, apesar de estar convencido de que iria de férias no final do campeonato, alimentava uma pequena esperança de ser chamado, devido às notícias que foram saindo na comunicação social, contou que a primeira reação foi festejar.


“Estava em casa com a esposa e os filhos. Saltaram todos para cima de mim. Parecia que tinha marcado um golo. Foi um momento de euforia, não sabia o que devia fazer, a quem devia avisar primeiro”, disse.


O médio luso assumiu estar num bom momento, fruto do trabalho realizado no seu clube, e revelou que o seu objetivo é prolongar “o máximo” a estadia na Selecção.


Custódio está concentrado em corresponder as expectativas das pessoas que nele confiaram, mas tem consciência de que existe um grupo que vem de trás.


“Eu sou novo, é natural que tenha muitos jogadores à frente. Estou aqui com o intuito de ajudar, de dar o meu contributo”, acrescentou o jogador cujas principais virtudes são, na sua opinião, a capacidade posicional e a boa colocação em frente à defesa.


Consciente de que o meio campo português tem “grande qualidade”, Custódio disse que a ele compete trabalhar. “Se conseguir roubar [o lugar], tanto melhor. Não interessa a quem”, brincou.


Ainda em ritmo “leve” de trabalho, de modo a recuperar do desgaste físico da temporada, Custódio já vai pensando mais à frente.


“De uma forma realista, penso que é um grupo fortíssimo. A Alemanha, que é sempre candidata a vencer, a Holanda, que esteve na final do último Mundial, e a Dinamarca. Vai ser um grupo muito difícil, mas Portugal tem um grupo de grandes jogadores e creio que vamos cumprir os nossos objetivos”, garantiu.


Para o médio, poder voltar a erguer um troféu como aconteceu no Torneio de Toulon, em 2003, ao lado alguns dos mesmos companheiros, como Quaresma ou Raul Meireles, seria “maravilhoso”.


“Muitos desses jogadores estão na melhor forma de sempre da sua carreira. Gostaria muito de vencer a competição”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário