sexta-feira, 25 de maio de 2012


Paulo Bento quer ver reproduzido no jogo com a Macedónia o espírito que a equipa teve durante a semana.
Espírito positivo.

A Selecção Nacional cumpriu, esta sexta-feira, no campo de treinos de Praia d’El Rey o último treino antes do jogo particular com a Macedónia, integrado na preparação para o Campeonato da Europa Polónia/Ucrânia 2012.


O defesa Miguel Lopes foi o único ausente dos trabalhos, devido a uma lombalgia, mantendo-se no Hotel a efectuar tratamento específico. Os restantes 22 convocados do Selecionador Paulo Bento participaram sem limitações na sessão.


Durante os 15 minutos abertos à comunicação social, os 19 jogadores de campo realizaram exercícios de aquecimento às ordens de João Aroso, enquanto os três guarda-redes, Rui Patrício, Beto e Eduardo, iniciaram o apronto sob orientação do técnico Ricardo Peres.


A Equipa das Quinas está a preparar, em Óbidos, até 1 de Junho, a participação no Euro 2012 e realiza frente à Macedónia, no Estádio Municipal Dr. Magalhães Pessoa, em Leiria, o primeiro dos dois "testes finais" para o Euro 2012, antes de jogar com a Turquia, em Lisboa (Estádio da Luz), a 2 de Junho.


Preocupados com a nossa forma de jogar
"O principal objetivo é tentar por em prática o que trabalhamos, o que neste trajeto não temos feito tão bem. Não pensamos tanto no valor do adversário, claro que vamos informar os jogadores das suas características, mas estaremos mais preocupados com a nossa forma de jogar e em levar para o jogo o espírito que tivemos durante a semana, de estarmos concentrados, motivados e com o objetivo de competir e ganhar", salientou Paulo Bento na Conferência de Imprensa de antevisão do jogo de preparação com a Macedónia.


Sem revelar o "onze", porque "não seria a mesma coisa", o técnico manifestou a intenção de utilizar os 23 convocados para a fase final do Euro 2012 nos jogos de preparação frente à Macedónia e a Turquia, nos quais pretende ainda "potenciar aquilo que tem sido feito com muita qualidade".


"O objectivo destas duas semanas é, essencialmente, de que todos tenham a consciência de que podem ser úteis, que podem participar e todos estejam informados da nossa forma de jogar para que possam, para que, quando tiverem de ser chamados, corresponder", referiu, rejeitando que os dois particulares sejam "testes" porque todos os jogadores "estão aqui pelo rendimento que tiveram e dão quando estão ao serviço da seleção".


Paulo Bento desvalorizou as limitações físicas de João Pereira e Custódio, durante a semana, e anunciou ainda "aguardar até amanhã [sábado] para saber da disponibilidade de Miguel Lopes, confirmando que o lateral do Sporting de Braga "se estivesse em condições poderia jogar".
Instado a antecipar o primeiro jogo de Portugal no Euro 2012, frente à Alemanha, a 9 de Junho, o técnico reiterou que "ainda vem longe", mas prometeu tentar que a formação lusa "protagonize um bom jogo e jogue com qualidade".


"Ainda estamos numa fase de preparação para esse jogo, já na Polónia pensaremos na Alemanha e no lado estratégico do jogo. Portugal, pelo bom sentido, vai tentar ser uma equipa que protagonize um bom jogo, que queira jogar com qualidade - não significa só tocar bem a bola -, mas temos de saber que é um adversário que não tem nenhum ponto fraco, em nenhum momento do jogo, e é uma das mais fortes do Mundo nas transições ofensivas. Mas, isso não nos pode inibir de atacar contra a Alemanha, não o podemos fazer", sublinhou.


Para Paulo Bento, a indefinição do futuro de alguns dos 23 convocados poderá ocorrer durante a concentração da Equipa das Quinas, sem que desvie o foco dos jogadores do Euro 2012.


O técnico voltou a desvalorizar a inexperiência de vários jogadores em grandes competições, recuperando novamente o exemplo de João Pereira que se estreou no jogo em que Portugal estava "com a corda no pescoço", frente à Dinamarca, até porque também ele se vai estrear em fases finais como treinador.


"Há jogadores que nunca estiveram numa fase final, há jogadores que ainda não têm nenhuma internacionalização, mas têm o que é essencial: qualidade e motivação", rematou Paulo Bento.


Admitindo que o Grupo B do Euro2 012 é "muito difícil e muito complicado", mas no qual todos começam com "zero pontos", logo "todos têm possibilidade de se qualificar", essa inexperiência "não terá qualquer tipo de influência".


"Todos temos, os 23 jogadores, a equipa técnica, o ‘staff’, todos temos a consciência do grupo em que está inserido. Para mim, é um grupo mais forte e mais equilibrado do que o que tivemos quando disputámos o Euro 2000, mas isso não vai impedir de lutar pelo objetivo que temos definido, mas estamos conscientes das dificuldades que vamos encontrar e que só estando a um nível elevado nos três jogos teremos possibilidade de passar aos quartos-de-final", reconheceu.


Adaptações necessárias
Após o apronto, o Seleccionador Nacional afirmou que a Equipa das Quinas terá de se adaptar com Hugo Viana, que substituiu o lesionado Carlos Martins, mas que também o médio se terá de adaptar à táctica
lusa.


"Optámos por trazer o Hugo Viana, tendo nós, a partir deste momento e sempre que o tivermos de utilizar, de adaptarmo-nos às suas características e também, tal como ele referiu, ele adaptar-se às características da nossa equipa. Não se pode jogar com o Carlos Martins da mesma forma que se joga com o Hugo Viana, temos de jogar diferente", explicou Paulo Bento.


O técnico salientou que a lesão do médio do Granada obrigou à chamada do bracarense, sem que isso signifique que tivesse mudado de ideias ou cedido a qualquer pressão.


"Não é uma questão de mudar de ideias, nem a questão de mudar as características do Hugo Viana. O que mudou é que tínhamos 23 elementos escolhidos mediante o que pretendíamos para uma forma de jogar, todos eles, essencialmente no sector do meio-campo, se adaptavam melhor a esse modelo e ao perdermos um jogador desse sector, optámos por trazer o Hugo Viana", frisou.


Reconhecendo que tanto Viana como o guarda-redes Quim "tinham toda a legitimidade para ambicionar estar na seleção e se sentirem injustiçados", Bento elogiou a memória e a inteligência do médio, que "sabe o que quer e sabe o que diz".


"Possivelmente como não se esquece do passado, sabe que é a segunda vez que vem nestas condições, em 2002 chegou ao Mundial assim, em 2006 chegou ao Mundial num contexto em que não jogava muito no seu clube. E, por ser uma pessoa consciente e grata, tem a capacidade de não valorizar o facto de ser primeira ou segunda opção", referiu.


Paulo Bento realçou a importância da "competência", da "motivação para o trabalho", independentemente de ser primeira ou segunda opção.


Paulo Bento lamentou lesão de Carlos Martins
O técnico lamentou a lesão de Carlos Martins, elogiando o contributo do jogador no apuramento para o Euro2012, e expressou os melhores desejos para a recuperação do filho do jogador.


"Aquilo que o importante, que já vivemos durante o ‘play-off' com a Bósnia-Herzegovina, é o desejo de todos nós de que, a nível pessoal e familiar, tudo corra pelo melhor. Temos a informação de que as coisas estão pelo bom caminho e assim desejamos que continue. Por outro lado, o lamento por o Carlos ter de abandonar o estágio por um motivo físico. Era uma oportunidade de estar, pela primeira vez, numa grande competição ao serviço da Selecção Nacional. Naturalmente tenho um sentimento de tristeza por isso e, acima de tudo, deixo-lhe uma palavra de gratidão pelo contributo enorme para estarmos agora a preparar este Europeu", frisou.


Carlos Martins foi dispensado da comitiva lisa na quarta-feira, devido a uma lesão muscular impeditiva, e o seu filho Gustavo, de três anos, foi submetido na quinta-feira a um transplante de médula óssea para ultrapassar a sua "aplasia medular".


A intervenção realizada no Instituto Português de Oncologia de Lisboa "decorreu sem incidentes" e realizou-se cerca de oito meses depois de ter sido diagnosticada a doença, poucos dias depois de ter sido encontrado um dador compatível nos Estados Unidos da América.


Bola de Ouro para Ronaldo não depende da sua prestação no Euro
Paulo Bento referiu que os feitos de Cristiano Ronaldo durante a presente época já será suficiente para o avançado do Real Madrid recuperar o título de melhor jogador do Mundo.


"Em relação à Bola de Ouro não me parece que vá ter qualquer tipo de influência o que fizer no Euro 2012. Aquilo que tinha de ser contemplado, no meu ponto de vista, já o foi. Ou seja, a época que fez, os números que apresentou e o facto de ter ganho o campeonato espanhol. Por isso, parece-me que irá conseguir esse objetivo."


Para o técnico, a reconquista do troféu, que já venceu em 2008, não estará relacionada com "o que conseguir no Euro2012", rejeitando, por isso, que o "capitão" da Selecção se sinta mais motivado por isso.


"Não me parece que isso possa ser uma motivação, isso seria, na minha opinião, mais um momento de pressão que nós não queremos dentro do nosso espaço. Para ele, não tem de ser nenhum objetivo além do normal, de querer estar bem, de querer ajudar a Selecção Nacional e de continuar a mostrar um rendimento elevado, mas não por esse objetivo", frisou Paulo Bento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário