sábado, 3 de setembro de 2011

Os joadores portugueses festejaram o golo por quatro vezes

Triunfo concludente.

Portugal continua no topo do Grupo 6, após seis jornadas, ao vencer em Chipre por esclarecedores 4-0.


A selecção da casa foi um adversário complicado para a formação das "quinas". Mas Ronaldo abriu o activo de penalty, aos 35 minutos, antes de bisar aos 82 e de oferecer o 3-0 a Hugo Almeida, numa ponta final de partida demasiado forte para um Chipre que jogou 65 minutos com dez jogadores. Danny fechou a contagem em tempo de compensação.


O Chipre fechou-se muito bem na primeira metade da etapa inicial, tapando bem as linhas de passe de Portugal. Os desarmes em antecipação foram uma das armas dos homens da casa, que conseguiram travar o último passe luso e as investidas de Cristiano Ronaldo. Porém, a primeira oportunidade para Portugal surgiu aos 12 minutos. João Pereira isolou-se, após assistência de João Moutinho, mas a permitir que um defesa contrário conseguisse evitar o remate, com um corte no último momento.


O domínio era português e o Chipre apenas em contra-ataque conseguia incomodar Portugal e, aos 31 minutos, quase surgiu o 1-0. Após canto da direita apontado por João Moutinho, instalou-se a confusão na pequena área cipriota, mas ninguém conseguiu a emenda, tendo o guardião Antonis Giorgallides segurado a bola no último momento.


Até que o golo acabaria mesmo por surgir, aos 35 minutos, por Cristiano Ronaldo, de grande penalidade. João Moutinho rematou forte e Siniša Dobrasinovic cortou a bola com a mão na grande área. O árbitro expulsou, por duplo amarelo, o jogador do Chipre e Ronaldo converteu o castigo máximo.


Os da casa responderam através de livre, no minuto seguinte, mas a barreira de Portugal travou o remate, e a seguir foi João Moutinho, com um disparo de meia distância, a atirar muito perto do poste direito da baliza de Giorgallides. Hélder Postiga imitou o médio do FC Porto, com um tiro muito perigoso perto do descanso.


Chipre regressou do intervalo com outra disposição, mais atacante, e chegou algumas vezes com perigo junto da baliza de Rui Patrício. Mas a melhor ocasião desta fase saiu dos pés de Ronaldo, aos 51 minutos, através de um forte remate do lado esquerdo, defendido por Giorgallides. Fábio Coentrão, aos 57 minutos, imitou Ronaldo, mas desta feita a bola acertou em cheio no poste esquerdo do Chipre.


Aos poucos os da casa começaram a equilibrar as operações, obrigando Portugal a jogar menos bem. As ocasiões de golo praticamente desapareceram, até aos 82 minutos. Neste momento, Ronaldo recebeu a bola em zona frontal, fugiu para a grande área e rematou cruzado para o 2-0.


Estava encontrado o vencedor, mas Ronaldo voltou a fazer das suas, no lance seguinte, rasgando a defesa cipriota pela esquerda, antes de cruzar para um tento fácil de Hugo Almeida, o 3-0. A contagem fechou com o golo de Danny, que irrompeu pela grande área e rematou rasteiro com sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário