sábado, 15 de novembro de 2014

«Não me considero a arma secreta» – Quaresma.

Ricardo Quaresma, que saltou do banco e esteve na jogada do golo, defendeu que não é a arma secreta da Seleção, mas mais um jogador sempre pronto para ajudar Portugal.

«Não me considero a arma secreta. Trabalho sempre para jogar seja de início ou não. Tento sempre fez o meu melhor e a equipa está de parabéns. Fizemos um bom trabalho a ganhámos os três pontos», afirmou Quaresma, em declarações à RTP.

A Seleção Nacional somou seis pontos nos dois últimos jogos.

«Estamos no bom caminho e temos de continuar a trabalhar do mesmo modo.»

Nenhum comentário:

Postar um comentário