quinta-feira, 6 de setembro de 2012


«Vamos entrar em campo como se estivéssemos no Euro-2012».

O Luxemburgo pode ser adversário modesto, mas o selecionador nacional alerta para episódios no passado que já serviram para complicar as contas. Como tal, Paulo Bento quer que a Seleção entre na partida desta sexta-feira com a mesma atitude demonstrada ao longo do Euro-2012, competição na qual Portugal atingiu as meias-finais.

«Não acredito que, depois da prestação que tivemos no Europeu, não haja motivação para começar bem a qualificação para o Mundial. Por isso, tenho a certeza que iremos entrar em campo como se estivéssemos no Euro-2012. Se não tivermos esse comportamento ficaremos desiludidos», afirmou Paulo Bento, demonstrando grande confiança na resposta dos jogadores: «Nunca desde que sou selecionador me deixaram desiludido.»

O selecionador não escondeu a importância de entrar com o pé direito a fase de qualificação para o Mundial-2014, de forma até a não destruir aquilo que tem sido o percurso da Seleção, que desde 1998 tem marcado sempre presença nas fases finais das grandes competições.

«Já definimos que a importância de estar no Mundial-2014 e chegar lá em primeiro lugar do nosso grupo. Para isso é importante começar bem, com três pontos. Mas também já fomos alertando para episódios que nos complicaram as contas», lançou Paulo Bento, deixando de imediato a receita para evitar surpresas desagradáveis: «Devemos entender todos os jogos da mesma maneira. É preciso jogar bem e estar concentrados do primeiro ao último minuto.»

De qualquer forma, o discurso foi sempre de confiança e ambição, sem problema em assumir o favoritismo diante daquela que é a atual 106.ª classificada do ranking da FIFA e que Portugal ainda há um ano goleou por 5-0.

«Assumimos o favoritismo, sentimos que somos melhor equipa, mas durante 90 minutos temos de provar esse estatuto, pois ninguém ganha por antecipação», vincou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário