segunda-feira, 10 de setembro de 2012


Paulo Bento espera que a equipa entre em campo de forma concentrada
Mais e melhor.

O Seleccionador Nacional, Paulo Bento, espera que a sua "mensagem passe melhor" para os jogadores que vão defrontar o Azerbaijão no segundo jogo da qualificação para o Mundial 2014, relativamente ao desempenho no Luxemburgo, onde Portugal ganhou por tangencial 2-1.

"Já disse que possivelmente não passei a mensagem da melhor maneira para o jogo com o Luxemburgo. Tentaremos inverter essa situação neste intervalo. Temos 36 horas para nos concentrar no que temos de fazer. Espero que a mensagem passe melhor", observou Paulo Bento.

Durante a Conferência de Imprensa de antecipação do segundo jogo do grupo F de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2014, o treinador reconheceu que a equipa lusa "tem capacidade para fazer melhor" do que fez no Luxemburgo, mas rejeitou ter razões para estar "apreensivo ou preocupado".

Paulo Bento admitiu a possibilidade de apresentar o mesmo "onze" que alinhou no Luxemburgo, pois considerou que a equipa só não esteve bem nos momentos iniciais do jogo e "apenas no momento após a perda da bola", situação do encontro em que Portugal tinha sido exemplar até ao embate de sexta-feira passada.

Além da vitória, Paulo Bento pretende que a Equipa das Quinas se reencontre com as boas exibições frente ao Azerbaijão, na terça-feira, pois "ninguém está feliz por ganhar 2-1 ao Luxemburgo", mas sem mexer muito nos habituais titulares e menos ainda na estrutura táctica, alicerçada no 4-3-3.

"Jogaremos da forma habitual, dentro do sistema táctico que normalmente usamos", disse o técnico, justificando a opção por uma questão de "identidade" e "estabilidade", esperando apenas que a equipa "dê um clique" relativamente à passividade demonstrada nos primeiros 15 minutos no Luxemburgo.

Paulo Bento quer "inverter a tendência" que a Selecção Nacional tem de descomprimir nos jogos para os quais é considerada clara favorita, deixando o aviso para a partida com a formação azeri: "Se não formos fortes a reagir à perda da bola, passaremos por dificuldades".

O seleccionador reconheceu a importância de chegar com seis pontos conquistados ao jogo da terceira jornada, na Rússia, que considerou a principal adversária na luta pela vitória no grupo, mas rejeitou que isso exerça uma "pressão exacerbada" para o confronto com o Azerbaijão.

"Perder pontos frente a equipas às quais devemos ganhar é que nos pode colocar numa posição mais delicada. Somos favoritos e devemos assumi-lo, mas temos de ter capacidade de o demonstrar e pôr em prática", advertiu.

O Estádio Municipal de Braga, onde Portugal nunca ganhou (derrota por 2-1 com a Itália e empate 0-0 com a Albânia), vai ser o palco do jogo com o Azerbaijão, com início às 20h15 de terça-feira e que será dirigido pelo árbitro polaco Szymon Marciniak.

(Com Lusa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário