quarta-feira, 6 de junho de 2012


Bruno Alves garantiu fazer o melhor possível e que a Equipa das Quinas tentará sempre ganhar.
Resposta dentro do campo.

A Selecção Nacional regressou, esta quarta-feira, ao trabalho em Opalenica numa sessão aberta apenas à Comunicação Social nos primeiros 15 minutos


O extremo Nani regressou ao trabalho de campo, realizando exercícios de recuperação durante este segundo treino em Opalenica, "quartel-general" da equipa das "quinas" durante o Euro 2012, que prepara a estreia na prova diante da Alemanha, no sábado.


Depois de ter estado ausente das sessões de segunda e terça-feira, Nani, a contas com um traumatismo no pé direito desde o jogo com a Turquia, esteve num dos campos relvados de apoio da unidade hoteleira que aloja a seleção lusa na companhia do fisioterapeuta António Gaspar.
Portugal prepara a estreia no Euro 2012 diante da Selecção da Alemanha, marcada para a cidade ucraniana de Lviv, no sábado, às 19h45 (21h45 locais), em jogo da primeira jornada do Grupo B da competição, que será arbitrado pelo francês Stéphane Lannoy.


“Provar que somos melhores”
Após o treino, o defesa central Bruno Alves esteve presente na habitual Conferência de Imprensa.


O defesa central Bruno Alves afirmou que os jogadores da Selecção Nacional desvalorizaram as críticas feitas à preparação para o Campeonato da Europa de 2012, que elogiou.


“Eu penso que [as críticas] não [fazem sentido], a preparação foi feita muito antes, já estava tudo programado e nós só tivemos de fazer o que nos pediram. Tentamos desvalorizar esse tipo de situação, mas claro que toda a gente tem direito à sua opinião. Não quer dizer que concordemos com elas, mas temos de saber conviver com isso”, afirmou o internacional luso.


Questionado sobre as declarações do treinador Manuel José, que comparou a preparação da Equipa das Quinas a um circo, Bruno Alves, de 30 anos, lamentou o “timing” e salientou que a resposta deve surgir no terreno de jogo, já no sábado, na estreia no Euro.


“Acho que não foi num momento oportuno, as críticas normalmente surgem depois de jogos menos bons. Mas, neste momento, temos de pensar nas muitas dificuldades que teremos na competição, vamos jogar contra uma das equipas mais difíceis do Mundo. Penso que todos os portugueses acreditam em nós e é assim, com todos juntos, que podemos fazer a diferença”, sublinhou o defesa central dos russos do Zenit São Petersburgo.


Bruno Alves, que aos 30 anos já vestiu a camisola da seleção principal em 50 ocasiões, elogiou ainda o planeamento da preparação lusa para a competição.


“Todos os jogadores que aqui estão jogam em grandes clubes, estão habituados a ter a responsabilidade de estar bem e treinar bem, com a liberdade das folgas. Acho que o planeamento foi bem feito, porque os jogadores vêm de uma época longa, cansativa, e é bom estar em casa com a família. Mas é normal, quando temos liberdade é porque temos liberdade, quando não temos queixamo-nos de que não temos liberdade. Eu acredito no trabalho, acredito em tudo para ter uma boa performance no Europeu”, frisou.


O defesa central Bruno Alves disse que a Selecção pretende “provar” no sábado que é superior à Alemanha, primeira adversária no Grupo B do Euro 2012.


Bruno Alves desvalorizou os comentários feitos na imprensa alemã sobre a Equipa das Quinas, após o desaire no particular com a Turquia (3-1).


“Para nós, não é importante esse tipo de comentários. Por isso é que no sábado temos o jogo para provar quem é melhor, se Portugal ou a Alemanha, e nós queremos provar que somos melhores”, frisou o internacional luso.


Antevendo o “duelo” com o avançado alemão Mário Gomez, do Bayern Munique, o central, de 30 anos, revelou que esta “missão” não poderá ser feita individualmente, mas sim coletivamente.


“Portugal vai tentar anular o coletivo da Alemanha, isso é que é o forte da selecção alemã, apesar das individualidades que aparecem. O Gomez é um excelente avançado, mas nós temos estudado a equipa alemã. Sabemos que é um finalizador forte, rápido e é preciso ter cuidado com ele, mas também com quem passa a bola para ele. Acho que para anular o Gomez, temos de anular o coletivo primeiro”, explicou.


Bruno Alves assegurou ainda que a derrota no último sábado não fez Portugal “perder o foco” de estar “o melhor possível” diante da “Mannschaft”, recusando colocar em causa “a qualidade do ataque” da seleção lusa “pelos treinos ou só por ter marcado um golo à Turquia”.


“Temos grande qualidade e espero que no sábado consigamos acertar na baliza”, rematou.


O central prometeu “fazer o melhor possível” e que a seleção portuguesa “tentará sempre ganhar”, com o desígnio de “orgulhar o país” que confia no desempenho luso.


“Eu acho que a Selecção precisa de quem acredita e de quem nos apoia. É com isso que estamos a contar. Não tenho dúvidas de que os portugueses vão estar connosco, a apoiar-nos”, reiterou Bruno Alves, registando ainda com agrado o apoio de adeptos polacos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário